Fonte dos dados

A radiodifusão brasileira vive o momento de marcar posição sobre temas estratégicos, como a liberdade de expressão comercial, o combate à radiodifusão ilegal, a adaptação tecnológica aos novos meios e, especialmente, a digitalização dos meios atuais. Isso tudo sem deixar de mencionar o sopro de modernização e a melhoria de processos e de gestão no Ministério das Comunicações sob o governo da presidente Dilma Rousseff.

A televisão digital já é uma realidade no Brasil. Ao final de 2012, todas as 27 capitais contam com o serviço e a cobertura atinge mais de 50% da população, ou seja, 92 milhões de pessoas. As consignações já atingiam 473 canais. Entretanto ainda não há informações atualizadas a respeito. Na estimativa da Abert este número deverá chegar a 60% em dezembro de 2013 (194 x 0,6 = 113 milhões de habitantes). Apenas uma das emissoras, por exemplo, prevê a cobertura das cidades com população superior a 50 mil habitantes para a Copa de 2014. Isso significa que ao final de 2014 teremos ao menos um sinal digital disponível para 125 milhões de brasileiros (65%).

Quanto à digitalização do rádio, o então ministro das Comunicações, Hélio Costa, anunciou a assinatura de portaria, em maio de 2009, para a realização de consulta pública que permitirá a concorrência dos principais padrões digitais de rádio do mundo e, posteriormente, a definição do modelo a ser adotado pelas milhares de emissoras brasileiras. Quase centenário, o rádio brasileiro é o único remanescente no ambiente analógico e, portanto, a possibilidade de transição para o padrão digital é muito esperada pelas emissoras.

O setor da radiodifusão, que responde por 0,49% do PIB, gera 743.900 mil empregos (diretos e indiretos)[1]. Já a publicidade responde por 89% da receita das emissoras, segundo informa a Fundação Getulio Vargas (FGV). Segundo estimativas da Abert, a radiodifusão teve uma receita bruta operacional de R$ 25,8 bilhões em 2012.

Radiodifusão - Pessoas ocupadas na cadeia de valor

Pessoas ocupadas na cadeia de valor

Número

Radiodifusão

143.500

Atividades dependentes diretas

76.100

Atividades dependentes indiretas

441.300

Atividades ligadas

83.000

Total

743.900

Fonte: FGV (2008)

 

Outros grandes temas ainda desafiam a capacidade empresarial dos radiodifusores, como a discussão do futuro das comunicações, a convergência tecnológica e as novas mídias. No âmbito regulatório, permanece a necessidade premente de aperfeiçoamento da gestão operacional dos processos em tramitação no Ministério das Comunicações, assunto que tem merecido prioridade total da atual gestão.

É necessário, entretanto, unir e consolidar o setor, dirigindo a atuação do radiodifusor num cenário de convergência cada vez mais complexo e desafiador, que elimina fronteiras entre os meios de comunicação, torna mais veloz o acesso à informação e redesenha, pouco a pouco, a maneira de fazer negócios.

Este trabalho, intitulado “Tudo o que você precisa saber sobre rádio e televisão: licenças, outorgas, taxa de penetração, receitas, audiências e receptores”, tem como objetivo expor à sociedade os números agregados do setor de radiodifusão no Brasil, mostrando não apenas a sua importância socioeconômica, mas também informações operacionais e mercadológicas, servindo de base para projetos e especialmente pesquisas e trabalhos acadêmicos que versem sobre o setor de som e imagens. Tudo isso sem pretender nenhum retorno econômico.

Todas as informações e todos os mapas, quadros e gráficos do trabalho são reproduzidos de fontes disponíveis na internet, tendo sido baseados e formatados a partir de cinco instituições de renome nacional, todas conhecidas pelo profissionalismo:

IBGE – PNAD/Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios;

IETS - Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade/UFRJ;

Mídia Dados 2012 – Grupo de Mídia de São Paulo;

Anatel – Agência Nacional de Telecomunicações;

Teleco – Inteligência em Telecomunicação.

MC – Ministério das Comunicações



[1] Segundo publicação da Abap (“Números Oficiais da Indústria de Comunicação, em 2007”), a TV emprega diretamente 50.178 pessoas, e o rádio, 32.232.

Última modificação em Quarta, 06 Novembro 2013 12:42
Avalie este item
(0 votos)