Assassinato de jornalista em Goiás será investigado
0800.940.2104

Telefone

abert@abert.org.br

E-mail

ABERT.RadioeTV

Facebook

@abertbr

Twitter

Sexta, 26 Janeiro 2018 11:22

Assassinato de jornalista em Goiás será investigado

Escrito por

A coordenadora do Programa Tim Lopes, Angelina Nunes, e o representante da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), Rafael Oliveira, vão apurar a morte do jornalista Jefferson Pureza, assassinado com três tiros no dia 17 de janeiro, em Edealina (GO).

No programa A Voz do Povo, da rádio Beira Rio FM, Pureza denunciava irregularidades locais e fazia críticas políticas à gestão da prefeitura da cidade . Em janeiro de 2017, ele divulgou que estava sendo ameaçado. A rádio foi alvo de ataques mais de uma vez. Na mais recente, em novembro de 2017, foi completamente incendiada. A emissora tinha planos de voltar a funcionar, até o assassinato do radialista.

Somente neste início de ano, dois jornalistas foram assasinados, e nos dois casos, a Polícia Civil trabalha com a hipótese de os crimes estarem relacionados ao exercício da profissão. Em Cacoal (RO), o dono do site Jornal de Rondônia e presidente municipal do PHS, Ueliton Bayer Brizon foi assassinado com quatro tiros. Ele denunciava crimes de políticos e irregularidades na cidade.

Em fevereiro, a ABERT lança o relatório com os casos de violações à liberdade de expressão no Brasil em 2017. Um jornalista foi morto e mais de 115 profissionais da comunicação sofreram algum tipo de violência não-letal.

Image
Associação Brasileira de Emissoras
de Rádio e Televisão.

SAF Sul Quadra 02 Ed. Via Esplanada Sala 101 - 70.070-600 - Brasília - DF
+55 61 2104-4600
abert@abert.org.br