“Liberdade de imprensa é alicerce de um país democrático” afirma presidente da ABERT
0800.940.2104

Telefone

abert@abert.org.br

E-mail

ABERT.RadioeTV

Facebook

@abertbr

Twitter

Sexta, 04 Maio 2018 10:18

“Liberdade de imprensa é alicerce de um país democrático” afirma presidente da ABERT

Escrito por

O presidente da ABERT Paulo Tonet Camargo participou, na quinta feira (3), da 10ª edição do  Fórum Liberdade de Imprensa e Democracia, na sede da OAB-DF, em Brasília.

Na data em que se comemora o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, jornalistas e advogados debateram a violência contra profissionais da comunicação e o combate às notícias falsas.
 
Tonet ressaltou mais uma vez a importância do jornalismo livre como alicerce de um país democrático. “A liberdade de imprensa é uma conquista da sociedade para a própria sociedade. Nunca o jornalismo livre e profissional  foi tão importante como elemento certificador da verdade e da responsabilidade", disse o presidente da ABERT.
 
A presidente do Instituto Palavra Aberta, Patrícia Blanco, afirmou que é preciso lutar diariamente para a preservação da liberdade de imprensa. “ Estamos em um país livre, mas temos que lembrar que ainda necessitamos avançar para que a liberdade permaneça na nossa sociedade”, disse.
 
Também presente na abertura do Fórum, o diretor executivo da Associação Nacional de Jornais (ANJ), Ricardo Pedreira, lembrou que toda vez que um jornalista é agredido, a sociedade  está sendo atacada. “ Estamos vendo uma intolerância muito grande com o exercício do jornalismo. A violência contra o jornalista é um ataque à democracia e à sociedade”, disse.
 
Durante o evento, dois casos emblemáticos e recentes de violação à liberdade de imprensa foram destacados. O diretor de redação da Gazeta do Povo, do Paraná, Leonardo Mendes, falou sobre a enxurrada de ações judiciais contra o jornal e seus profissionais, após a publicação de reportagens sobre os salários dos magistrados do Paraná, que ultrapassavam o teto definido em lei. O jornal e os cinco jornalistas sofreram 48 ações.
 
O outro caso, foi apresentado pelo advogado da Rede Pampa, de Porto Alegre (RS), Leopoldo Lara. Após um entrevistado de um dos programas da emissora criticar, ao vivo, uma universidade do interior do Rio Grande do Sul, a Rede Pampa e o entrevistado foram processados por mais de 40 professores da instituição de ensino. Em primeira instância, a emissora foi condenada a pagar R$ 12 mil a cada um dos professores.
 
O Fórum Liberdade de Imprensa e Democracia também debateu ordens judiciais de censura e remoção de conteúdo.

Image
Associação Brasileira de Emissoras
de Rádio e Televisão.

SAF Sul Quadra 02 Ed. Via Esplanada Sala 101 - 70.070-600 - Brasília - DF
+55 61 2104-4600
abert@abert.org.br